sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Diário de um banana, volume 11.

     Oi oi galerinha linda, tudo bom com vocês? Hoje vim aqui trazer mais uma resenha, dessa vez do livro "Diário de um banana: Vai ou racha" esse é o volume onze da serie. Sem mais enrolações vamos dar inicio a resenha?

Sinopse:
A pressão só está aumentando para Greg Heffley. A única coisa que ele é realmente bom é em jogar videogames, mas seus pais quer que ele expanda seus horizontes fazendo algo  - qualquer coisa! – diferente. Quando Greg encontra uma filmadora antiga em seu porão, ele acredita ter descoberto exatamente o que precisava para provar que é muito talentoso. Com a ajuda de seu melhor amigo, Rowley, ele planeja fazer um filme de terror... e ficar rico e famoso. Dessa vez, vai ou racha!! Mas será que fazer um filme é um plano inteligente? Ou seria só mais uma receita de desastres para Greg?

Resenha:
  Assim como nos livros anteriores, acompanhamos a rotina de Greg e sua família, nada que Greg faz dá certo, sempre tem algo que dá errado. Mas com muito humor, ele descreve as situações que passa bons apuros. O livro é um infanto juvenil, muito divertido, ótima dica para sair daquela ressaca literária. 
  Dessa vez o Halloween se aproxima e Greg precisa dar um jeito de ser convidado para a festa mais incrível de todas, onde os adultos não estão nem aí para o que as crianças fazem, assim, ele decide entrar na banda da escola para se aproximar da anfitriã e conseguir o convite, mas acontece que ele não toca nenhum instrumento... Eu gostei do livro, é repleto de imagens, e tem a diagramação grande. Até a próxima resenha, um mega beijo! 

Nota: 3/5

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Mentira perfeita.

       Oi oi galerinha linda, tudo bem? Hoje vim aqui trazer mais uma resenha de um livro muuuito amorzinho! Á algumas semanas eu li o "Procura - se o marido" também da autoria da Carina Rissi e amei. A escrita dela é maravilhosa, me fez ficar apaixonada nos dois livros! <3


Mentira Perfeita               Sinopse: 
Com Mentira Perfeita, Carina Rissi prova mais uma vez que o seu forte é contar boas histórias, com ritmo acelerado e repletas de paixão, humor e reviravoltas. Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa qualquer coisa mesmo! por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre... E então o milagre acontece: Berenice se recupera e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente... Mentira Perfeita é um spin-off de Procura-se Um Marido, uma história que se passa no mesmo universo da primeira. Aqui você vai conhecer novos personagens inesquecíveis, além de rever aqueles que já moram no seu coração.

                                Resenha:
        A historia acontece no mesmo universo do livro anterior, como já aparece na sinopse. Julia a personagem principal cujo foi criada pela tia Berê; trabalha na área de TI da empresa L&L Cosméticos, a mesma empresa da Alicia, do Procura-se um marido. Julia, é uma garota doce, inteligente, e muito preocupada com a saúde de sua tia, que não esta nada bem. Já no primeiro capitulo, começamos com o coração na mão (risos). E por esse motivo Julia decide contar uma mentira, mas mentira com boa intenção! A mentira é a que a Tia Berenice queria ouvir: Julia esta namorando (com um príncipe) e vai se casar. O que ninguém imaginava, era que a tia Berê iria melhor praticamente do nada!!  Assim que ela volta para casa, já começa ir atrás dos preparativos, contrata o casamento dos sonhos. Até ai tudo bem. Mas tem um porém, quem é o noivo? Pois a Julia não foi pedida em casamento, e muito menos tem namorado. Agora a Julia, tem que arrumar um noivo! E muito logo. A saúde de sua tia é bem critica, ela necessita de um transplante de coração e não aparece nenhum. E como Julia vai contar que é uma mentira? Sua tia poderia passar mal, e chegar á falecer.
      E aí por ironia do destino Julia conhece Marcus, irmão mais novo do Max. Marcus, gostou muito dela, mas ao invés de ser gentil e educado, não parava de provocar a Julia. No livro anterior podemos conhecer um pouco sobre ele, cujo não é nada discreto, pergunta tudo sem enrolar. O famoso cara de pau, e mulherengo. (Desculpem pela palavra, mas é assim mesmo, risos). Marcus, sofreu um acidente e acabou ficando paraplégico, como todo jovem ele quer morar sozinho, mas seus pais, e o Max ficam muito preocupado. Apos muita discussão, acabam cedendo mas tem um porém, ele tem que um acompanhante.
        Eles voltam a ser encontrar por acaso, em um bar com amigos que eles têm em comum. E no meio da conversa, Marcus se interessa por um assunto que ambos tem em comum precisam de outra pessoa, um para marido, e outra para ser acompanhante. Já dá para perceber o que vai dar né? Mas não se engana, nenhum dos dois abaixa a guarda, após uma iniciativa do próprio Marcus, eles conversam e entram em um acordo. O que isso vai dar?
      Eu recomendo a leitura, mas também recomendo ler o Procura-se um marido antes, assim você já vai conhecer a maioria dos personagens. Até a próxima resenha, um mega beijo!

Nota: 5/5 +

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Cidade de vidro

Cidade de Vidro
     Oi oi galerinha, tudo beleza? Hoje vim aqui trazer mais uma resenha, desta vez do livro "Cidade de vidro" da serie "Os instrumentos mortais" da autora Cassandra Clare, e cujo foi publicado pela editora Galera. 


Sinopse:
Clary está à procura de uma poção para salvar a vida de sua mãe. Para isso, ela deve viajar até a Cidade de Vidro, lar ancestral dos Caçadores de Sombras, criando um portal sozinha. Só mais uma prova de que seus poderes estão mais sofisticados a cada dia. Para Clary, o perigo que isso representa é tão ou menos assustador quanto o fato de que Jace não a quer por perto. Mas nem o fora de Jace nem estar quebrando as regras irão afastá-la de seu objetivo: encontrar Ragnor Fell, o feiticeiro que pode ajudá-la a curar a mãe.

 Resenha: 
    Bom, todo mundo que me acompanha, já conhece essa história, mas pra quem ainda não conhece, vou contar rápido o que acontece aqui. 
Clary vai atrás de um antibiótico pra mãe que ainda não acordou e pra isso ela vai pra cidade de vidro procurar o feiticeiro que ajudou a mãe dá primeira vez. Até aí tudo bem, só que a Clary nesse livro é simplesmente insuportável , custei a ler de tão chata ela estava, não sei se foi só comigo que aconteceu, mas minha vontade era matar ela. 
Acredito que o livro enrolou muito, chegou em uma parte que li pra ver o que aconteceria, pra ver se me surpreendia mas não. O livro não me surpreendeu, foi bem repetitivo, partes bem desnecessárias. Enfim, não recomendo. 

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Cidade das cinzas.

             Sinopse:
Cidade das CinzasJace parece determinado a deixar todos ao seu redor enfurecidos. O caçador de sombras já é visto com desconfiança, pois seu pai, Valentin, quer dominar o mundo. Além disso, triângulos amorosos surgem, vampiros renascem e angústias adolescentes florescem em seu grupo de amigos. 
            Resenha:
     Gente, quem leu a resenha do primeiro livro dessa serie, viu que eu não gostei nada, nada. Aqui vou contar um pouco sobre a historia, mas não vou dar minha opinião, pois é a mesma do Cidades dos ossos. 
     Esse segundo foi bem inferior ao primeiro,talvez porque a autora precisava introduzir novas histórias e acabou metendo tanta coisa que ficou confuso e fez com que a narrativa caísse bastante.Parece que não tinha linearidade,uma coisa não levava a outra,e só iam surgindo problemas novos a toda hora.
     Clary está tendo que lidar com muitos problemas; descobrir que ela na verdade é uma caçadora das sombras, que seu pai possui planos horríveis, que ninguém consegue tirar a sua mãe do coma, e que a pessoa que ela estava começando a desenvolver sentimentos na verdade é seu irmão, não é nada fácil. Clary só queria que sua vida voltasse ao normal, mas isso está longe de se tornar realidade. Para piorar ainda mais a sua vida, Clary precisa tentar entender esse novo relacionamento que ela está tendo com seu melhor amigo, Simon, e ajudar seu irmão a se livrar das falsas acusações onde ele estaria matando seres do submundo a pedido do seu pai.
       Enfim, acho o livro meio tedioso, então não recomendo! 
          Nota:3/5

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Cidade dos ossos - Cassandra Clare



     Oi galerinha linda, como vão? Depois de uma longa demora, trouxe a resenha desse livro, espero que gostem. 
                        Sinopse 
Cidade dos Ossos
Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria. 

Resenha
     Gente uma coisa que sou com vocês é sincera, quando eu recomendo um livro é porque é bom, mas quando eu não gosto.. Eu sei, eu sei, esse livro deve ser o favorito de muitos leitores, mas não me conquistou. Achei bem tedioso, li até o terceiro, e não tenho vontade de terminar a serie, mas caso os outros livros entrem em promoção, quem sabe né? 
     A historia em si é boa, tem uma trama bem interessante, mas a autora não soube muito bem como prosseguir. As comparações poderiam não existir ou serem mais maduras, por exemplo essa: 


 ''O vento bateu no cabelo de Clary, tão macio como pelos de gato'' 

       Eu sei, uma comparação ou outra não faz mal, mas era cada uma mais chata que a outra.  Mas o livro não é tão ruim, eu não disse que a ideia central era boa? Então.. 

     Clary é uma garota comum que mora com sua mãe e possui um melhor amigo chamado Simon, mas um estranho acontecimento numa boate a faz acreditar que possa haver algo de diferente com ela. Ela pode ver coisas que as outras pessoas não podem. Isso porque presenciou o assassinato de um garoto por outros três estranhos jovens que mais ninguém pode ver. Como reportar um crime se ninguém pode ver os assassinos e o corpo desapareceu no ar?

     Ela decide não mais pensar no que aconteceu e que foi fruto de sua imaginação quando um dos estranhos adolescentes, um garoto lindo chamado Jace, que se diz um caçador de sombras, a segue e mostra a ela um mundo onde os mundanos, como são chamados os humanos para eles, não conhecem. Clary pensou se tratar de um simples acontecimento de se estar no lugar errado e na hora errada, até que se vê cada vez mais envolvida na trama deste outro mundo.

Nota: 3/5 



quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Eleanor & Park

Sinopse: 
Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. 

Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo. 
Resenha: 
        O livro conta a historia de Eleanor, uma garota ruiva com varias sardas, que veste roupas esquisitas. E também de Park, um garoto coreano que não é do tipo popular no colégio, mas também não é rejeitado. 
        Eleanor é nova na cidade, e já no primeiro dia em que vai para a escola chama muito atenção por culpa de seu jeito "diferente", e consequentemente ninguém convida ela para se sentar no ônibus. Park á convida para sentar - se ao lado dele, mas é claro de uma forma nada gentil. 
        Desta forma, os dois começam a desenvolver uma amizade de uma forma bastante sutil. Eleanor começa a ler os gibis juntamente com Park no trajeto do ônibus escolar sem que o mesmo perceba, mas claro que o garoto acaba captando o que está acontecendo e, posteriormente, começa a ler seus gibis um pouco mais devagar para que ela possa acompanhar a história. Depois começa a emprestá-los para a menina, em seguida passam a conversar sobre letras de músicas, e quando se dão conta já não podem viver sem o outro.
        Porém, vão ter que lidar com alguns desafios. A família de Park é muito bem estruturada, e seus pais se amam e amam seus filhos. Mas, apesar de sua família ser perfeita, seu pai é um pouco rígido, e sua mãe se importa bastante com a aparência física, sendo esteticista. Ao contrário da família de Eleanor, cuja mãe se encontra em um relacionamento abusivo, e com cinco filhos para criar em uma casinha que mal os cabem. O padrasto da garota é perverso e doente, e seu pai não quer nem saber dela e de seus irmãos (os quais são um pouco “loucos”, para falar a verdade). Fora as famílias, também tem a “turminha” do colégio, que só quer um pezinho para poder maltratar Eleanor.
      Os dois se encontram em meio a todo esse caos, e acabam encontrando um abrigo um no outro. Mas quanto tempo será que esse relacionamento vai durar, levando em consideração que ele está acontecendo no meio de um castelo de cartas em ruínas que está prestes a desmoronar de uma vez por todas?

      "Eleanor & Park" é um livro otimista porque nos mostra como determinadas pessoas têm o poder de nos curar, apenas por existirem, por estarem por perto e por trazerem à tona o que há de melhor em nós. 

Nota: 5/5

Espero que tenham gostado da resenha, até mais, um mega bj. 


sexta-feira, 4 de agosto de 2017

A máquina de contar historias

Sinopse:
Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V.
Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.
Resenha:
Nenhum texto alternativo automático disponível.             Vinicius é um autor muito bem sucedido, que de tanto entregar-se ao seu entregar-se ao seu trabalho, não é um marido e pai presente na vida da família V. A sua esposa, Viviana, sofre de um câncer e acaba morrendo quando Vinicius estava em uma festa de lançamento do seu livro novo. A ausência dele em vários momentos importantes para a família e ainda mais a morte da mulher sem o marido por perto despertam o ódio de Valentina, sua filha de 16 anos, que ficou ao lado da mãe durante todo o período de tratamento com a doença...                     Ele se sente perdido, e tenta recuperar o tempo perdido que passou longe da mulher e das duas filhas, e enfrenta o desprezo de sua filha mais velha, então resolve fazer uma viagem com ela e Vida, a "fadinha" que tem apenas quatro aninhos. Depois de muita resistência da parte de Valentina, ele finalmente consegue convencê-la a embarcar nessa viagem, e durante essas "ferias fora de época"  Vinicius passa a conhecer as duas filhas.
        Um fato importante, e que eu quero destacar é que a viagem e os locais escolhidos, tem um proposito que só fui descobrir perto do final do livro, me emocionei muito. 
        Vinicius escrevia de forma metódica e os leitores adoravam seus romances, imaginado que ele havia mesmo vivido todos aqueles sentimentos escritos por ele. Mas na verdade, não.
        Com a descoberta das pequenas coisas da vida que podem ser maravilhosas, ele percebe quão frio era, e muda sua maneira de escrever, e de se relacionar com as pessoas. Com as duas filhas, ele aprende finalmente o sentido da palavra viver! 


 Participei de um book tour desse livro, e meu comentário foi o seguinte:       
Nenhum texto alternativo automático disponível.Saindo de Minas Gerais o livro foi para Pimenta Bueno em Rondônia, a Iasmyn Backes (@uma_leitora1) . “A Máquina de Contar Histórias é uma obra linda e comovente.. No começo achei a Valentina, chata e bem mimada, mesmo ela tendo visto sua mãe morrer e ter ficado com ela nesses últimos momentos, ela não teria o direito de julgar o sofrimento dos outros, e colocar o seu como o único verdadeiro. Vinicius sem duvidas nunca foi um “paizão”. Sim, ele foi bem ausente, mega concordo. Mas sempre merecemos uma segunda chance, e a cada pagina que passava eu ficava mais ansiosa para o final. Emoção do começo ao fim, esse livro é extraordinário! Amei!”

(Imagem mostrando por onde o livro passou, créditos a Bianca Faria)