sexta-feira, 4 de agosto de 2017

A máquina de contar historias

Sinopse:
Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar.
Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V.
Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.
Resenha:
Nenhum texto alternativo automático disponível.             Vinicius é um autor muito bem sucedido, que de tanto entregar-se ao seu entregar-se ao seu trabalho, não é um marido e pai presente na vida da família V. A sua esposa, Viviana, sofre de um câncer e acaba morrendo quando Vinicius estava em uma festa de lançamento do seu livro novo. A ausência dele em vários momentos importantes para a família e ainda mais a morte da mulher sem o marido por perto despertam o ódio de Valentina, sua filha de 16 anos, que ficou ao lado da mãe durante todo o período de tratamento com a doença...                     Ele se sente perdido, e tenta recuperar o tempo perdido que passou longe da mulher e das duas filhas, e enfrenta o desprezo de sua filha mais velha, então resolve fazer uma viagem com ela e Vida, a "fadinha" que tem apenas quatro aninhos. Depois de muita resistência da parte de Valentina, ele finalmente consegue convencê-la a embarcar nessa viagem, e durante essas "ferias fora de época"  Vinicius passa a conhecer as duas filhas.
        Um fato importante, e que eu quero destacar é que a viagem e os locais escolhidos, tem um proposito que só fui descobrir perto do final do livro, me emocionei muito. 
        Vinicius escrevia de forma metódica e os leitores adoravam seus romances, imaginado que ele havia mesmo vivido todos aqueles sentimentos escritos por ele. Mas na verdade, não.
        Com a descoberta das pequenas coisas da vida que podem ser maravilhosas, ele percebe quão frio era, e muda sua maneira de escrever, e de se relacionar com as pessoas. Com as duas filhas, ele aprende finalmente o sentido da palavra viver! 


 Participei de um book tour desse livro, e meu comentário foi o seguinte:       
Nenhum texto alternativo automático disponível.Saindo de Minas Gerais o livro foi para Pimenta Bueno em Rondônia, a Iasmyn Backes (@uma_leitora1) . “A Máquina de Contar Histórias é uma obra linda e comovente.. No começo achei a Valentina, chata e bem mimada, mesmo ela tendo visto sua mãe morrer e ter ficado com ela nesses últimos momentos, ela não teria o direito de julgar o sofrimento dos outros, e colocar o seu como o único verdadeiro. Vinicius sem duvidas nunca foi um “paizão”. Sim, ele foi bem ausente, mega concordo. Mas sempre merecemos uma segunda chance, e a cada pagina que passava eu ficava mais ansiosa para o final. Emoção do começo ao fim, esse livro é extraordinário! Amei!”

(Imagem mostrando por onde o livro passou, créditos a Bianca Faria) 

Um comentário:

  1. Oi,, minha amada. Que lindo seu blog. Beijos. Respirelivros

    ResponderExcluir